Sustentabilidade

English Version / HOME
 
 
 
 
 
 
Desafio Energético
 
Soluções em Cuidados com a saúde
 
Dialogo com Stakeholders
 
 
Relatório de Sustentabilidade

Revista Atitude

Links sugeridos

Calendário Sócio-ambiental
   
  Janeiro

Fevereiro

Março

Abril

Maio

Junho

Julho

Agosto

Setembro

Outubro

Novembro

Dezembro

Trabalhos Universitários

Canais de comunicação
 
 

Dia da Mata Atlântica

Um decreto presidencial de 1999 instituiu o dia 27 de maio como o Dia da Mata Atlântica. A mata atlântica é aquela que cobria todo o litoral brasileiro e que encantou os portugueses, em 1500, por ser rica em pau-brasil. Atualmente, resta muito pouco dessa vegetação, sendo que no Rio Grande do Norte, por exemplo, não resta nada da mata atlântica original.

A devastação começou com a retirada do pau-brasil, nos tempos de colônia e perdurou com o estabelecimento de pastos, plantações e a construção de cidades. Todavia, em algumas regiões do Sudeste, como na Serra da Mantiqueira e na Serra do Mar, ainda existem algumas áreas de floresta nativa.

Mesmo reduzida, a mata atlântica ainda é um ecossistema muito importante, pela sua diversidade arbórea e por sua função social e econômica para as regiões a ela associadas. Entre os seus papéis no meio ambiente, podemos citar o controle das cheias, o papel de filtro biológico, criatório de peixes e lugar de repouso para aves migratórias.

A Philips trabalha sob os princípios de sustentabilidade e busca colaborar para a preservação do meio ambiente. Um meio de colaborar, por exemplo, é educando a sociedade para adquirir consciência ecológica. O Aprendendo com a Natureza, é um projeto de responsabilidade social, cujo intuito é ensinar as crianças valores sobre meio ambiente e a importância de conviver em harmonia com o ecossistema. Professores da rede pública e voluntários (colaboradores da Philips) são capacitados em educação ambiental para transmitirem-na às crianças de escolas públicas.

Mais focado na responsabilidade ambiental, foi criado também o Bosque Ecológico Philips da Amazônia. A princípio, o objetivo era evitar a extinção do primata Sauim de Manaus, mas o espaço também abriga outras espécies da fauna amazônica. Aberto a visitantes, o bosque conta com uma equipe que os orienta sobre a natureza da região e os riscos decorrentes da devastação florestal.

voltar
  voltar